Exames

O Laboratório Diag oferece serviços eficazes em diagnósticos de:

Biópsias
A biópsia é o exame realizado em fragmentos de tecido retirados do paciente. A interpretação de uma biópsia é uma das tarefas mais importantes do patologista, pois a partir deste diagnostico é que serão tomadas diferentes condutas terapêuticas frente ao paciente. O exame consta de:

Exame macroscópico: nesta etapa, o médico descreve as anormalidades macroscópicas do material e seleciona as áreas que serão encaminhadas para o processamento histológico e exame microscópico.

Exame microscópico: nesta etapa, o patologista avaliará as alterações celulares pelas lâminas. As alterações serão descritas e permitirão a elaboração de um diagnostico final após correlação com os dados clínicos, radiológicos e laboratoriais. Em algumas situações, além da coloração de rotina, o patologista lança mão de colorações especiais


Peças cirúrgicas
É o material obtido através da retirada cirúrgica. Poder ser feita a retirada total da lesão (excisão) ou a retirada parcial (incisão). A peça cirúrgica pode ser um órgão, tumor inteiro ou partes destes.


Citologias de Líquidos (pleural, ascítico, urina, cefaloraquidiano e lavado brônquico)
A citologia de líquidos (cavidades, lavados, urina) e escarros destaca-se especialmente na pesquisa de células neoplásicas, embora infecções como tuberculose, paracoccidioidomicose e viroses, também possam ser diagnosticadas.


Citologias esfoliativas (preventivo cérvico-vaginal, escovado brônquico e outros)
Consiste no estudo de células que são raspadas ou que descamam naturalmente de uma superfície, por exemplo, a citologia cérvico- vaginal destaca-se por sua importância na prevenção e diagnostico do câncer de colo uterino.


Punção aspirativa por agulha fina (mama, tireoide, linfonodos, pulmão, tumores, entre outros)
Consiste na aspiração de células de uma lesão utilizando-se uma seringa acoplada a manete com agulha. Este método tem sido bastante utilizado em órgãos palpáveis como mama, tireoide, gânglios linfáticos, próstata, glândula salivar, entre outros. A citologia aspirativa é também denominada de punção aspirativa por agulha fina (PAAF).


Consultas intraoperatórias (congelações)
Os fragmentos são retirados da lesão pelo cirurgião e enviados durante a cirúrgica para o patologista. Podem ser feitos raspados e imprints destes fragmentos, obtendo-se material citológico permitindo um diagnóstico sem necessidade de congelar e cortar o material.


Imuno-histoquímica para diferenciação de neoplasias (painel de fatores prognóstico) (terceirizado)
Biologia molecular (terceirizado)
O enorme desenvolvimento das modernas técnicas de imuno- histoquímica, microscopia eletrônica, genética e biologia molecular permitem que elas sejam aplicadas aos tecidos e células obtidos dos pacientes, aumentando muito a precisão dos diagnósticos.

Como Enviar

Cuidados antes da chegada do material (espécime cirúrgico):
» Preenchimento adequado da requisição médica;
» Adequada representativa do material;
» Imediata e boa fixação do material.

Critérios absolutos de rejeição da amostra:
» Ausência do nome do paciente;
» Ausência de idade ou data de nascimento do paciente;
» Incompatibilidade entre o nome do paciente na requisição e no recipiente do material.

Como acondicionar o material:
» Colocar o material em recipiente de abertura ampla contendo solução com formol. Este último deve cobrir o material.
» Enviar o material o mais rápido possível ao laboratório.

Como acondicionar a citologia esfoliativa:
» Fixar o esfregaço imediatamente em álcool 70% ou em spray fixador (fornecido pelo laboratório).

Como acondicionar a citologia de punção aspirarativa:
» Fixar o esfregaço imediatamente em álcool 95% ou em spray fixador;
» Esfregaços de tireoide podem se manter a fresco para realização de coloração especial;
» Identificar os frascos ou lâminas de topografia ou de lesões diferentes.

Como acondicionar líquidos (fluídos corpóreos):
» Enviar ou comunicar o laboratório imediatamente para a retirada do material;
» No tempo de aguardo, manter o material na geladeira.

» Modelo de requisição de exames (Anátomo Patológico - Imuno-histoquímico - Citologia - Revisão de Lâmina)
» Modelo de requisição de exames Colpocitológico

Termo de Consentimento

De acordo com a Art. 5º da RESOLUÇÃO CFM Nº 2.169/2017, o exame anatomopatológico poderá ser encaminhado para o laboratório de Patologia (Anatomia Patológica) diretamente pelo estabelecimento onde o procedimento de coleta foi realizado, desde que atendidas as seguintes condições:

I – O laboratório de Patologia (Anatomia Patológica) deve estar contratualmente vinculado ao estabelecimento responsável pela coleta, ambos pertencentes à mesma jurisdição;

II – Informação ao paciente sobre o destino do exame – nome do laboratório que efetivamente realizará o procedimento, com endereço, telefone e nome do seu diretor técnico médico;

III – Obtenção de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), assinado pelo paciente.

A transferência de material biológico para outra localidade deve ter como alvo primordial o benefício do paciente, não podendo servir a interesses de ordem comercial.

O paciente tem o direito de optar pela realização de seu exame em laboratório da sua escolha, devendo, nesse caso, receber orientações para que ele próprio possa providenciar esse encaminhamento, assinando um respectivo termo de responsabilidade.

» Download Termo de Consentimento

Convênios

Rua Aparecida, 537 - Centro - Guaxupé / MG
(35) 3551-6853 / (35) 9 9740-7783
Desenvolvido por Minas Web